Texto normalContraste normalAumentar contrasteAumentar textoDiminuir texto Ir para o conteúdo

07/01/19 | Assessoria de Imprensa - SAP   Fotos: Divulgação/SAP

Agentes flagram visitantes tentando entrar com drogas em panquecas e peças de roupas - estas e outras apreensões em todo estado - 05 e 06/01/2019


A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa sobre as apreensões realizadas no último final de semana, 5 e 6 de janeiro, com visitantes tentando entrar com ilícitos em presídios de todo estado de SP. Todos os visitantes flagrados foram automaticamente suspensos do rol de visitas e os casos foram registrados por meio de boletim de ocorrência.

Em cada uma das apreensões, os presos foram isolados e respondem a Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade daqueles que receberiam os materiais ilícitos.

Além de várias apreensões de drogas nas peças de roupa, agentes encontraram maconha escondida em panquecas:

Capital

No Centro de Detenção Provisória (CDP) "Chácara Belém I", zona leste da capital, três visitantes foram flagrados com entorpecentes ou aparelho celular, que seriam levados para dentro da unidade prisional. No sábado (5), os agentes de segurança de plantão registraram dois casos de visitantes com ilícitos que aparentavam ser maconha e K4 (droga sintética). Os entorpecentes foram identificados com as mulheres através da revista pelo scanner corporal, que indicou anormalidade na região íntima dos corpos das visitantes. A substância característica à maconha estava escondida em forma de cigarro, enquanto que dois pedaços de papel branco, medindo aproximadamente 8 cm por 6 cm, foram identificados como a droga K4.

No domingo (6), um celular foi encontrado junto a alimentação que seria entregue a um preso da unidade. O visitante levava o aparelho escondido em um fundo falso da vasilha que continha comida, que foi descoberto ao passar por revista realizada por Raio-X.

Já na zona oeste de São Paulo, no Centro de Detenção Provisória (CDP) "ASP Vicente Luzan da Silva" Pinheiros I, no domingo (6), duas visitantes tentaram entrar na unidade com entorpecente análogo à maconha escondido em seus absorventes íntimos. Ao passarem por revista no aparelho scanner corporal foi possível detectar os ilícitos com as mulheres que carregavam, cada uma, 6 gramas e 26 gramas da substância. O Boletim de Ocorrência dos flagrantes foi registrado no 91° Distrito Policial do Ceasa.

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Vila Independência, na zona sul, foram apreendidos entorpecentes com três visitantes da unidade, durante o último final de semana (5 e 6). No sábado (5), a companheira de um preso foi flagrada com 15 gramas substância análoga à maconha escondida na costura de sua roupa íntima (top).

No domingo (6), os agentes de segurança encontraram entorpecentes com características de uma erva, um pó de coloração branca e um outro de coloração azul. Em uma das situações a visitante foi indagada após passar pelo scanner corporal, que apresentou alterações na imagem na região de seu abdômen. Em resposta, a mesma disse que tinha ingerido alguns medicamentos e por isso a alteração no scanner. Porém, logo afirmou que estava com um pacote de entorpecentes em sua genitália. Na segunda ocorrência do dia a visitante também levava entorpecentes característicos à maconha, à cocaína e comprimidos de coloração azul introduzidos em seu corpo. Os boletins de ocorrência foi registrados no 56° Distrito Policial da Vila Alpina.

Na zona norte, na Penitenciária Feminina de Sant'Ana, a irmã de uma presa tentou entrar na unidade levando mais de 60 gramas de entorpecente análogo à maconha escondido em seu corpo. O ilícito foi constatado com a mulher durante revista mecânica feita pelo aparelho scanner corporal. O Boletim de Ocorrência foi lavrado no 20° Distrito Policial da Água Fria.

Santo André

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Santo André, no sábado (5), um invólucro contendo substância característica à cocaína foi encontrado com a companheira de um preso que iria visitá-lo no referido dia. O entorpecente foi apreendido pelos agentes de segurança de plantão após a visitante passar por revista no scanner corporal e o aparelho indicar anormalidade na região de sua cintura. Ao ser questionada, a mulher afirmou estar com um pacote contendo o ilícito em seu corpo. Em local apropriado a visitante retirou o invólucro de sua genitália e o entregou aos responsáveis para providências cabíveis, que detectaram 68 gramas da substância esbranquiçada em pó, análoga à cocaína. O caso foi registrado no 4° Distrito Policial de Santo André.

Diadema

No último domingo (6), no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Diadema, os agentes de segurança da unidade apreenderam um invólucro contendo substância análoga à cocaína com a mãe de um preso. O entorpecente estava escondido no cós de uma blusa que era levada pela visitante e foi encontrado após revista manual feita na peça. O invólucro continha 99 gramas do ilícito de coloração branca e foi recolhido pelas autoridades para registro de Boletim de Ocorrência e demais providências cabíveis. O flagrante foi registrado no 1° Distrito Policial de Diadema.

Franco da Rocha

No município de Franco da Rocha, na Penitenciária I "Mário de Moura e Albuquerque", os agentes de segurança apreenderam no domingo (6) entorpecentes característicos à maconha e à cocaína com visitantes da unidade. Os ilícitos foram encontrados após revista feita pelo aparelho scanner corporal, que detectou os invólucros escondidos no corpo de duas visitantes. Os materiais foram recolhidos e as mulheres encaminhadas à Delegacia de Polícia de Franco da Rocha, para registro de Boletim de Ocorrência.

Osasco

No sábado (5), no Centro de Detenção Provisória (CDP) "Éderson Vieira de Jesus", de Osasco I, a companheira de um preso foi surpreendida ao tentar entrar na unidade com entorpecentes característicos à maconha escondidos em sua genitália. A substância foi vista através das imagens do aparelho scanner corporal, procedimento pelo qual todos os visitantes são submetidos. Os ilícitos apreendidos foram encaminhados às autoridades policiais do 5° Distrito Policial de Osasco, onde foi registrado Boletim de Ocorrência.

Campinas

No domingo, 6, uma mulher foi detida no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas, durante o procedimento de revista dos alimentos, conhecido como jumbo. Agentes encontram costurados na alça da sacola. Três saquinhos com maconha e duas cartelas contendo 50 adesivos de LSD. A visitante e os entorpecentes foram encaminhados ao plantão policial e o preso que seria visitado foi isolado, preventivamente, para procedimento disciplinar.

Hortolândia

No domingo, 6, a companheira de um detento, de 26 anos, foi surpreendida durante o procedimento de revista na Penitenciária III de Hortolândia, com 107 gramas de maconha escondidos na vagina. No momento em que ela passou pelo body scanner agentes perceberam, por meio das imagens, que havia alteração na região abdominal da suspeita, que foi questionada sobre a divergência nas imagens. A mulher imediatamente admitiu que estava com maconha e pretendia entregá-la ao companheiro. Diante disso, ela foi impedida de visitar o preso e foi encaminhada à Delegacia Policial de Plantão, onde foi registrado o boletim de ocorrência e ela permanece à disposição da Justiça.

Itirapina

No sábado,5, duas mulheres foram detidas durante o procedimento de revista, na Penitenciária ‘João Batista de Arruda Sampaio’. Na primeira ocorrência, a visitante estava com 84 gramas de maconha e 61 comprimidos de ecstasy para entregar ao companheiro. Agentes desconfiaram da visitante porque as imagens feitas pelo body scanner mostraram alterações em sua região pélvica, quando ela foi questionada negou que estivesse com algo ilícito. O procedimento de revista foi repetido até que a suspeita disse que havia colocado na vagina os comprimidos dentro de um preservativo. Após a retirada do material, a mulher foi submetida novamente ao scanner e ainda constava alterações nas imagens, foi então, que ela admitiu que além dos comprimidos, também estava com maconha.

No segundo flagrante, outra mulher foi detida, também durante o procedimento de revista, com um aparelho micro celular escondido nas partes íntimas. As duas mulheres foram conduzidas ao plantão policial e ficaram à disposição da Justiça.

São Vicente

Três pessoas foram barradas depois de passarem pelo bodyscanner com drogas em unidades prisionais de São Vicente. Os flagrantes, registrados no final de semana, dias 5 e 6 de janeiro, aconteceram graças ao empenho de agentes de segurança penitenciária que fazem a revista nos visitantes.

No sábado, no Centro de Detenção Provisória "Luis César Lacerda", o CDP de São Vicente, o pai de um detento foi surpreendido com 4 gramas de maconha escondidos na barra da calça. Ao ser submetido à inspeção por meio de escaneamento corporal, os servidores desconfiaram de um volume atípico na roupa do homem, de 50 anos. Ao ser revistado, uma porção da erva caiu no chão e o visitante teve a entrada proibida no presídio.

No dia seguinte, duas jovens foram barradas na Penitenciária 2 de São Vicente com invólucros com maconha introduzidos na vagina. Pelas imagens geradas pelo escâner, as funcionárias da unidade prisional notaram objetos estranhos na região pélvica das visitantes, de 22 e 19 anos. Questionadas, ambas confessaram carregar o ilícito e retiraram, espontaneamente, o material do corpo em local reservado.

As duas entregariam o entorpecente para seus companheiros, sentenciados na penitenciária. Ao todo, foram apreendidos 124 gramas de maconha com uma das jovens e 87 gramas com a outra. Os três visitantes foram encaminhados para o 1º Distrito Policial de São Vicente, onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência, e tiveram seus nomes suspensos do rol de visitas da SAP. As direções dos estabelecimentos penais enviaram comunicados para a Vara de Execuções Criminais, além de instaurarem Procedimento Disciplinar Apuratório.

Avanhandava

No sábado (5), por volta das 9h30, uma mulher foi flagrada com objeto suspeito na região abdominal ao passar pelo escâner corporal da Penitenciária “Valdic Junio Alves Primo” de Avanhandava.

Indagada, a visitante confessou que havia maconha introduzida em seu ânus e concordou em entregar o entorpecente, pesando 126 gramas e enrolado em fita adesiva, para uma funcionária feminina em sala reservada.

A visitante relatou que recebeu a droga em sua casa de uma mulher que não conhece e que tentou entrar com o entorpecente na unidade a pedido de seu filho, para quem faria a visita no presídio.

Bauru

Uma mulher foi flagrada com objeto suspeito em seu corpo quando era submetida ao escâner corporal do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru, no domingo (6), por volta das 11h. Ela apresentou indícios de hemorragia e precisou de intervenção médica.

Ao ser indagada por agentes de segurança, a visitante confessou que carregava uma porção de maconha em sua vagina. Por conta dos sinais de sangramento, uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e levou a mulher até o Pronto-Socorro Central (PSC), sob escolta da Polícia Militar (PM).

Após ser medicada, ela foi encaminhada até o Plantão Policial e presa em flagrante. A droga contabilizou peso total de 176,8 gramas.

Pirajuí

Uma mulher foi flagrada, neste domingo (6), tentando entrar na Penitenciária “Luiz Gonzaga Vieira” (P II) de Pirajuí com um miniaparelho celular escondido em sua vagina. Ela, que visitaria o seu amásio na unidade prisional, foi descoberta ao passar pelo escâner corporal, por volta das 9h20.

Ao ser questionada, a visitante confessou que portava o aparelho sem chip e concordou em retirá-lo de sua genitália, o que foi feito na companhia de uma agente feminina, em sala reservada.

Ribeirão Preto

No domingo (6), por volta das 9h, uma mulher passava por revista pelo “Body Scanner” na Penitenciária de Ribeirão Preto, quando a imagem atestou positivo para presença de objeto na região do quadril.

Ela foi acompanhada por agentes femininas até uma sala reservada, onde retirou de seu ânus, espontaneamente, um invólucro embalado em fita adesiva preta contendo substância esverdeada semelhante a maconha.

Junqueirópolis

Foram três apreensões no último fim de semana na Penitenciária de Junqueirópolis, sendo uma duas no sábado, 5, e um a no domingo, 6. No sábado, ás 9h26, visitante foi flagrada com algo oculto nos genitais durante o procedimento de revista com o aparelho de scanner corporal da unidade. Ao ser indagada, a companheira de preso da Penitenciária negou estar portando algo ilícito, e em seguida pediu para usar o banheiro, local em que tentou se livrar do objeto no vaso sanitário, porém, não obteve êxito. Após averiguação, ficou constatado que tratava se de um invólucro contendo um aparelho micro celular. A Polícia Civil foi acionada para que fossem tomadas as providências de praxe. Mais tarde, por volta das 11h, outra companheira de outro sentenciado foi flagrada da mesma forma tentando entrar com algo suspeito. Questionada, a visitante em questão admitiu estar portando algo de ilícito, e retirou espontaneamente na presença de duas servidoras, um invólucro contendo um aparelho micro celular, sendo também solicitada a presença da Polícia Civil para as devidas providências.

No dia seguinte, às 9h50, uma terceira visitante, também companheira de preso da unidade, foi flagrada pelos agentes tentando entrar com um micro celular nas partes íntimas.

Presidente Bernardes

Por volta das 6h40, durante os procedimentos de revista pelo scanner corporal, a visitante de um sentenciado foi flagrada com dois invólucros plásticos na calcinha, um contendo erva esverdeada, supostamente maconha e o outro com uma substância esbranquiçada semelhante à cocaína. Mais tarde, outra mulher também foi surpreendida com uma substância amarelada no forro da calcinha. Ambas foram conduzidas à delegacia de polícia local onde foram lavrados os respectivos Boletins de Ocorrência e suspensas do rol de visitas. Também foi instaurado procedimento disciplinar para apurar a cumplicidade dos sentenciados que receberiam os ilícitos.

Pacaembu

Agentes de Segurança Penitenciária impediram a entrada de três mulheres na unidade prisional as quais portavam cada uma 01 (um) celular inserido nos órgãos sexuais. Já uma quarta mulher trazia cola escondida dentro de um frasco de creme hidratante em meio a alimentos (jumbo). A Polícia Militar foi acionada para providências de praxe, as mulheres suspensas do rol de visitas e instaurados procedimentos disciplinares para apurar a cumplicidade dos presos envolvidos.

Riolândia

Duas mulheres tentaram adentrar a unidade com vasilhas contendo panquecas recheadas com substância semelhante à maconha, enquanto outra trazia estimulante sexual, cocaína e maconha no elástico que prendia seu cabelo. A Polícia Militar foi acionada e conduziu as mulheres à delegacia para as providências cabíveis, além de serem suspensas do rol de visitas.

Martinópolis

Neste sábado, com um invólucro introduzido na genitália, contendo 01 (um) micro celular, a mulher de um sentenciado tentou passar despercebido pelos procedimentos de revista da unidade prisional, mas foi flagrada por agentes. No dia seguinte, outra mulher tentou ingressar com um pedaço de papel medindo 9 cm x 5 cm (comprimento x largura), oculto no sutiã, com a suspeita de que o papel pudesse se tratar de substância entorpecente denominada “K4”. A autoridade policial foi comunicada e o pedaço de papel remetido à delegacia para registro da ocorrência e envio de material para realização de perícia, e as mulheres foram suspensas do rol de visitas.

Lavínia

A visitante de um sentenciado camuflou 20 (vinte) invólucros de erva semelhante à maconha em meio ao recheio de panquecas trazidas para seu companheiro preso, o que foi descoberto no momento da revista manual de alimentos, os quais estavam envoltos em plástico. A Polícia militar foi acionada e tomadas as providências de praxe. A mulher também foi suspensa do rol de visitas.

São José do Rio Preto

Ao operar o scanner corporal de revista em visitantes, uma agente prisional observou pelas imagens do equipamento que havia um volume estranho no detalhe do recorte da blusa de uma visita. Questionada, a mulher alegou que não sabia do que se tratava, mas ao entregar o material, foi verificado uma porção de erva esverdeada semelhante à maconha. Diante dos fatos, a mulher foi conduzida ao plantão policial e suspensa do rol de visitas. Também foi instaurado Procedimento Disciplinar Apuratório para apurar a cumplicidade do detento.

Mirandópolis

Durante procedimento de revista em alimentos trazidos pelas companheiras de sentenciados, uma mulher tentou ocultar quatro jogos de baralho e seis frascos de tinta no interior de uma vasilha plástica com comida, mas acabou flagrada pelo aparelho de raios X e suspensa do rol de visitas.

aasassa
Topo