Volta para página inicial mande um e-mail para a SAP obtenha mais informações técnicas sobre o site

Página Principal

Conheça a SAP

Dirigentes

Estrutura Básica

Coordenadorias

Unidades Prisionais

Corregedoria

Ouvidoria

Escola (EAP)

Órgãos Vinculados

Penas Alternativas

Tecnologia (DTI)

Editais

Estatísticas

Imprensa

Reportagens Especiais

Notícias SAP

Entrevista do Mês

Clipping

Links

Fale com a SAP

 

 

Penitenciária "José Parada Neto" de Guarulhos comemora projeto cultural

Reeducandos receberam certificados de conclusão de curso, expuseram trabalhos de arte e assistiram a shows musicais

Clique na foto para ver mais.

Reeducando participante do projeto apresentou o evento..

"Como Vai Seu Mundo?". Esta pergunta é o título do projeto desenvolvido na Penitenciária "José Parada Neto" (PI de Guarulhos) e a resposta para ela foi dada pelos próprios reeducandos, que receberam na tarde de domingo (19/6) certificado de conclusão nos cursos oferecidos durante seis meses, na unidade prisional. Eles participaram de oficinas de arte e comunicação, nas áreas de teatro, música, rádio, fotografia, informática, produção de e vídeo e elaboração de fanzine. A festa de apresentação dos trabalhos e entrega de certificados aconteceu no anexo semiaberto da penitenciária e contou com a presença de artistas, professores, direção do presídio e o Juiz da Vara de Execuções Criminais (VEC) da cidade, Jayme Garcia dos Santos Junior.

No decorrer das oficinas, os reeducandos tiveram contato com profissionais das áreas estudadas, que ensinaram segredos e técnicas de cada disciplina. A partir daí, os internos desenvolveram atividades que foram apresentadas na festa de encerramento do ciclo. No local havia exposição de fotos, distribuição do 1º fanzine, exibição de um vídeo, execução do programa de rádio, tudo produzido pelos presos, além de apresentações musicais.
O evento é resultado de uma ideia do cantor de rap e egresso do sistema prisional paulista, Marcos Fernandes de Omena, artisticamente conhecido como “Dexter”, em parceria com a VEC de Guarulhos, Instituto Crescer, Coletivo Peso e a direção da PI de Guarulhos. “A realização desse projeto dentro da penitenciária é a lição de que somos mais do que um simples número”, declarou Omena. “Obrigado ao Dr. Jayme por me dar mais uma oportunidade. Eu só posso retribuir de uma forma: isso que todos estão vendo”, enfatizou.
“Esse contato com o projeto foi muito enriquecedor, não só do ponto de vista profissional, como também do pessoal, porque me permitiu passar um pouco de conhecimento musical aos reeducandos. É uma experiência que vou levar para o resto da vida”, destacou a cantora de Rap e MPB, Ysalú, que ministrou aulas de música aos internos. Durante sua apresentação no evento, ela sugeriu que a iniciativa seja expandida para outras unidades prisionais, especialmente as femininas. “Entendo que é um projeto de extrema importância também para as mulheres que estão passando por dificuldades na prisão. O aprendizado reeduca e alerta como está o mundo lá fora e pode auxiliá-las na preparação de um novo contato com a sociedade, assim que forem colocadas em liberdade”, opinou.

Várias idéias, o mesmo ideal

Além do empenho e apoio da diretoria da penitenciária na realização do projeto, o grande entusiasta e colaborador foi o Juiz da VEC de Guarulhos, Jayme Garcia dos Santos Junior. Ele não quis subir ao palco durante o evento. Por conta disso – e por insistência de reeducandos e organizadores – um microfone foi levado até ele na plateia, para que falasse aos presentes. “Muito me orgulha participar desse evento, pois sei o quanto ele é importante no processo de ressocialização e pelo retorno que traz a quem participou do projeto. Os senhores estão de parabéns e saibam que podem contar com a minha parcela de colaboração em outras etapas do projeto”, comprometeu-se.
O clima festivo da comemoração foi observado durante todo o dia nas dependências da penitenciária, especialmente no campo de futebol, onde estava montado o palco em que as atrações aconteceram e eram expostos os paineis produzidos durante as aulas do projeto. A capela da unidade – que serviu de sala de aula e estúdio nos seis meses de atividades – foi o local escolhido para a exibição do vídeo de autoria e produção dos presos.

Continuidade

Eric Bento dos Santos, 26 anos, é um dos reeducandos que mais se destacou no decorrer do projeto. Ele participou de todas as oficinas e acabou sendo escolhido para conduzir a cerimônia de entrega de certificados. Muito desenvolto, ele enalteceu a iniciativa, mas demonstrou preocupação com o fim das atividades culturais após o término da primeira etapa. “Eu já estou quase saindo da prisão, com o término de minha pena, mas não quero que essas atividades acabem. Seria muito interessante se continuasse, pois será um benefício para os demais presos ”, argumentou.
No entanto, o diretor da unidade Emerson Rodrigues Sanches, assegura que haverá outras etapas e que o projeto será levado à outras áreas da PI, como o regime fechado, por exemplo. “Esta primeira parte serviu como piloto, mas com certeza será expandida para outros setores da penitenciária”, prometeu Sanches. “Através das artes aprendidas aqui, eles também elaboram trabalhos que podem gerar renda quando saírem em liberdade”, diz.

Sede de saber

O desenvoltura do reeducando Eric Bento dos Santos foi reconhecida pelo professor de teatro e rádio, Julio Suñe, que também é ator e advogado. Ele não poupou elogios quando descreveu o empenho e dedicação do preso no decorrer das aulas. “Fala bem, tem boa dicção e postura quando usa o microfone. Em suma, é um excelente apresentador ”, elogiou Suñe. “Me impressionou o interesse com que os alunos desenvolviam as atividades, logo que eram explicadas. Eles são criativos e assimilam com muita rapidez o conteúdo das matérias”, destacou.

Preso há sete anos, dos quais três em regime semiaberto, Santos vê no projeto uma oportunidade única de ressocialização e que deve ser aproveitada por todos os reeducandos que tiverem acesso. “Estamos tendo a oportunidade de começar do zero e posso dizer que esse tipo de projeto nos dá um horizonte e nos leva para outro caminho”, admite. “Coisas que aprendi aqui, levo para casa e gostaria que meu filho pudesse aproveitar esse bom aprendizado ”, revela.
As apresentações dos “rapers” Dexter, Mano Brown, as cantoras Ysalú (MPB) e Esmeralda (samba e partido alto) encerraram o evento..

Assessoria de Imprensa -SAP
 Notícia postada em: 30/06/11

Secretaria da Administração Penitenciária

Governo do Estado de São Paulo